Arenas de oralidade, perpetuando corpos negros em diásporas africanas

  • Elias Alfama Vaz Moniz, Prof. Dr. Universidade da Bahia - UFBA
Palavras-chave: Corpos, África., Cultura, Pelejas, Cabo Verde, Negros

Resumo

Ao explorar cantorias e literatura oral de opúsculos, como tangibilidades derradeiras de grupos herdeiros de tradições africanas em Cabo Verde, em diálogos entre si e outros grupos sociais, afloraram-se evidências do restaurar de culturas negras em exercícios identitários e alteridades diante de vicissitudes históricas. Estas arenas de oralidade, perpetuando corpos negros em diásporas africanas, foram exploradas como campos de enfrentamentos culturais no arquipélago de Cabo
Verde. Das suas imbricações, temos explorado minudências na tentativa de fazer saltar do continuum da história indícios de outras memórias.

Biografia do Autor

Elias Alfama Vaz Moniz, Prof. Dr., Universidade da Bahia - UFBA

Doutor em História Social e professor visitante no Centro de Estudos AfroOrientais da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Publicado
2019-08-13