Relações raciais e mudança social no Brasil

as publicações de Fernando Henrique Cardoso

  • Marcos Abraão Ribeiro Uenf
Palavras-chave: Relações raciais, FHC, Mudança social, Desigualdade

Resumo

Este artigo analisa os temas das relações raciais e da mudança social presentes na obra de Fernando Henrique Cardoso, produzida no período entre o final dos anos 1950 e o início da década de 1960, na Cadeira de Sociologia I da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo, sob a orientação de Florestan Fernandes. Para tanto, retomamos suas pesquisas sobre as relações raciais realizadas em Florianópolis, Pelotas e Porto Alegre que foram responsáveis por construir nova interpretação sobre as relações raciais e o preconceito racial em Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Conjuntamente, analisaremos os
artigos sobre as questões agrária, educacional e proletária durante a década de 1950, que tinham como objetivo central apontar os obstáculos à mudança social através do conceito de “demora cultural”. Para Cardoso, o grande entrave à mudança social era a herança do “antigo regime” estamental e patrimonialista, responsável por transplantar o tradicionalismo que agia como bloqueio à institucionalização plena da ordem moderna pautada pela urbanização,
industrialização, racionalização, secularização e pelas classes sociais. Fazemos esta análise conjunta com o objetivo de defender a complementaridade entre os dois temas, pois um entendimento amplo das teses de Cardoso apresentadas nos textos sobre a mudança social é alcançado quando os relacionamos às pesquisas sobre as relações raciais. Procuramos construir uma visão abrangente de sua obra, uma vez que ela termina sendo circunscrita por grande parte dos seus intérpretes ao tema da dependência. 

Publicado
2017-12-18