Chamada de Artigos - dossiê: "A atualidade do pensamento social e político brasileiro" – Vol. 18, nº 01, jan-jun 2022

 

Organização:

Dr. Marcos Abraão Fernandes Ribeiro (Instituto Federal Fluminense - IFF)

Dr. Maro Lara Martins (Universidade Federal do Espírito Santo - Ufes)

Dr. Roberto Dutra (Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro - Uenf)

 

Prazo para submissão: 30/11/21

Prazo para publicação: 30/06/22

 

 

 

Depois de 20 anos de ditadura civil-militar, o Brasil retomou o regime democrático representativo com a instituição da Nova República, que foi simbolizada pela Constituição de 1988 e pelas eleições diretas para presidente da República no ano seguinte. Depois da promulgação da “Constituição Cidadã” e da retomada das eleições diretas para presidente, teríamos consolidado a democracia no Brasil, pois tivemos sete eleições seguidas para a chefia do Executivo nacional. Contudo, a partir de 2013, com as “jornadas de junho”, iniciou-se uma crise que culminou no golpe parlamentar que retirou a presidente Dilma Rousseff do poder em 31 de agosto de 2016. A partir da instituição de mais um golpe na história republicana brasileira, o tema do autoritarismo voltou à ordem do dia como uma questão central. Sua importância foi reforçada com a eleição do primeiro candidato reconhecidamente de extrema direita, o capitão reformado do Exército e ex-deputado federal Jair Messias Bolsonaro.

Esta mudança política radical não apenas expõe a fragilidade da Constituição e da democracia no Brasil; ela também indica que mudanças sociais e culturais alteram as condições de possibilidade da política. A crise política parece estar associada a uma crise mais ampla na sociedade. Isso exige explicações capazes de conectar análise da política com análise da sociedade. O que mudou na sociedade e na cultura? Como essas mudanças afetam a política?

A partir dessa conjuntura atual, este dossiê tem como objetivo discutir a atualidade do pensamento social e político brasileiro para interpretar a crise do Brasil contemporâneo.  A riqueza e variedade desse pensamento sugerem direções muito distintas para interpretar a crise brasileira atual em diálogo com teorias e abordagens mais recentes. Seriam categorias clássicas como “personalismo”, “patrimonialismo”, “populismo”, “autocracia burguesa” capazes de interpretar nossos dilemas? O Brasil contemporâneo possui problemas essencialmente seus ou se trata de problemas mais gerais vivenciados por muitos outros países? Qual é o potencial heurístico do pensamento social e político brasileiro? Nesse sentido, este dossiê receberá propostas de artigos que tenham como objetivo tematizar a atualidade de nossas clássicas leituras sobre o país, em diálogo com a análise sociológica e política mais recente.

As regras para publicação na revista podem ser encontradas na seção Diretrizes para autores.

A chamada de artigos para este dossiê está aberta até o dia 30 de novembro de 2021. As contribuições serão aceitas  exclusivamente por meio da plataforma revistaterceiromilenio.uenf.br.

.